Pequenas opiniões sobre quase tudo que servirão para quase nada
Quarta-feira, 14 de Dezembro de 2016
Um postal dos CTT com esta história/poema/ seja-o-que-for

ESTRADA fora, lembrando-me das saias das raparigas
E o bom que era eu com elas. Dancemos! Dancemos!
Agora há uma montanha. Depois não há montanha.
Agora, volta a haver.                (Donovan, anos 70)
Escurece e tudo fica mais luminoso, que o sol acende
Nostalgias. Olho o verde garrafa da vegetação. Um
Incêndio, chama por mim, no céu do poente. Amor!
Bebo café, danço ao sabor de uma chuva miudinha que
Nada fazia prever. Ouço na rádio a notícia do meu
Desaparecimento. Ninguém me procura. Fujo, bebo e
Desisto. O pai, sempre o pai, espera-me. Despeço-me
De ti: Mãe! Há uma montanha. Depois não há montanha
Agora volta a haver. De novo. Agora há….. ( coro)
O tempo morre e ressuscita. Primeiro há uma montanha
Lisboa (outubro 2016)

frio.jpg

 



carlos arinto maremoto às 09:02
link do post | comentar | favorito

Quinta-feira, 8 de Dezembro de 2016
carlos arinto

carlos.arinto.4.jpg

Carlos Arinto 



carlos arinto maremoto às 09:46
link do post | comentar | favorito

O Porto aqui tão perto

CARLOS Arinto nasceu em Linhares, Celavisa, Arganil. Atualmente vive na Amadora. Diz que escrever é assim “a modos que” ir teclando deixando o espírito correr. Colocar em palavras cirúrgicas vagas ideias e criar imagens cristalizadas em palavras. No entanto, não se considera “escritor”, nem “poeta”, apesar da obra publicada. Associa o Porto a um gigante em ninho pequeno como expressão de um alcantilado formigueiro de nacionalismo. Sobre a literatura postal (será um género literário em criação?) define-o como sendo estética e arte que se desloca: corpo e alma em voo.

Por Paulo Moreira Lopes

1 – Data de nascimento e naturalidade (freguesia e concelho)?

12.09.1951 Linhares, Celavisa, Arganil.

2 – Atual residência (freguesia e concelho)?

Amadora, Lisboa.

3 – Em que outros locais viveu de modo permanente?

Nenhum outro.

4 – Habilitações literárias?

Frequência universitária, no grau de bacharelato.

5 – Atividade profissional?

Consultor.

6 – Em que medida o local onde nasceu e viveu ou vive, influenciou ou influencia a sua vida artística?

O local de nascimento influenciou como raiz de memória. É uma ligação geracional, embora não de vivência. Influencia pela capacidade em determinar um caracter e uma dinastia com especificidade e empatia na forma de abordar a cultura, por vezes com determinismo geográfico.

7 – Quando pensa na cidade e na região do Porto lembra-se imediatamente de quê?

Do mundo. Sempre associei o Porto ao que resta do mundo imenso que nos rodeia. Pelo desusado do contraste com Lisboa, pelo virtuosismo do núcleo cerrado, da sua cor, da sua afabilidade e caricia das gentes. O Porto é um gigante em ninho pequeno como expressão de um alcantilado formigueiro de nacionalismo.

8 – Como vê o Porto nos dias de hoje?

Um universo.

Literatura postal

9 – Tem a mania dos postais?

Curiosidade. Um formato que faz a diferença.

10 – Sente mais prazer em comprar, escrever e enviar o postal, em saber que foi recebido por outro ou em receber postais de outros?

Comprar, escrever e enviar.

11 – Tendo em conta a popularidade da correspondência postal, será que podemos falar de uma literatura postal, quem sabe como uma derivação dos contos ou microcontos?

O conceito de literatura postal é curioso e interessante. Não possui autonomia, face aos restantes géneros literários, mas pode caminhar para essa independência, caso os autores se debrucem sobre a mesma e a alimentem com qualidade e substância. O que depende muito dos divulgadores, editores e estudiosos. Tem a vantagem de ser memória e fragmento físico. Estética e arte que se desloca: logo corpo e alma em voo.

eu.jpg

 Fotografia de Pedro Palma.



carlos arinto maremoto às 01:33
link do post | comentar | favorito

contador
MAREMOTO
pesquisar
 
Outubro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
14

15
16
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


textos recentes

27

Ida ao supermercado

as arvores

Champagne

Gafanhoto

concertinas

Memória

suão

Projecto

actualização de imagem

arquivos

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Junho 2016

Janeiro 2014

Março 2013

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

tags

todas as tags

links
alô planeta terra

localizador ip
hora de inverno
hora de verão
contador
a partir de:
28.03.2010