Pequenas opiniões sobre quase tudo que servirão para quase nada
Quinta-feira, 25 de Fevereiro de 2021
Mural

Com palavras e imagens se constroi

A vida e o futuro. O céu é feito de arte

E o belo a essência da vida. 



carlos arinto maremoto às 03:09
link do post | comentar | favorito

Quarta-feira, 24 de Fevereiro de 2021
o eterno esquecimento

Havia uma neblina na nossa paisagem,

Uma luz filtrada, uma morgana visão

Uma distorcida imagem do que somos 

E quem somos. Afinal quem somos?

 

E a serra aqui tão perto e desconhecida

E modificada

E os nossos ancestrais ignorados

E a vida escorraçada

E o queixume das almas penadas

Em danças de exaltação à volta de uma harmónia

De uma fogueira e de uma arguardente.

 

Glória a quem preserva.

Dos faraós, aos nossos avós.

No Açor, como na Beira e da estrela serra

Agora e na hora de sempre.

Que a morte não nos apanhe distraidos

Na armadilha da demência.

 

Adulterar é ainda pior do que ignorar.

Sejamos verdadeiros

E quem não sabe, que se cale.

Esquecer, nunca!



carlos arinto maremoto às 07:50
link do post | comentar | favorito

Domingo, 21 de Fevereiro de 2021
A véspera

Depois do frio, da neve, da geada

Depois dos agasalhos e dos dias nocturnos

Comecemos como se tudo estivesse a despontar, 

A começar a irromper.

Porque tudo está prestes a renascer

Porque hoje é Primavera, porque hoje é véspera 

 

Hoje é o amanhã que se reconstrói 

E o todo depois que virá em luz

Em nitidez em harmonia e em verdade,

Depois da véspera: o dia.

 

Parabéns! O meu filho nasceu

No dia em que a liberdade se levantou,

Ergueu as asas e voou.

Tudo ficou para sempre diferente, melhor, 

Foi de véspera que se preparou.

 

É a minha vez de recuar e deixar o mundo viver.

 

Hoje é véspera e despedida. Amanhã alvorada 

Depois a estrada e mais longe, lá onde a vida fervilha

A tua luz e as memórias de sermos o mesmo, 

(O universo onde tudo passa tão depressa,)

Que tu és, e eu já não sou.

Ambos desejando o que fomos, o que somos. 

 

E tudo se enxameia e desaparece. 

Recorda-me apenas com amor. 

 

 



carlos arinto maremoto às 13:05
link do post | comentar | favorito

Um livro, uma história, uma romance, uma aventura

Carlos Arinto2.JPG

 



carlos arinto maremoto às 12:21
link do post | comentar | favorito

Segunda-feira, 15 de Fevereiro de 2021
       NAS ASAS DO MEU AMOR, VOAM OS ANJOS

               

tablet 183.jpg

 

                A ideia é angraçada. Poema da latinidade, mas eu não tenho nada!

                Nem meu corpo já resiste, onde insistes em me encontrar, porque não estou aqui

                Nem ao vento, nem ao luar. Morri!

 

               Sou talvez um extra. Que se oferece como brinde, promoção e resto de stock

               Para o cliente, sou um destralhar. Vês, como me ignoro, anda daí vem almoçar!

 

              Seduzido, enganado, o meu amor dá-me a mão e segurando um copo de vinho

              Festejamos o inverno, a primavera e o verão, e juntos connosco, outros virão.

 

 

            Carlos Arinto



carlos arinto maremoto às 22:08
link do post | comentar | favorito

Sexta-feira, 12 de Fevereiro de 2021
Morremos

É nas coisas bonitas, como o mar,

Que morremos

É nas coisas que amamos, como tu

Princesa, que morremos!

E nas coisas deslumbrantes que existam

Como o sol, que morremos. 

É na sombra de um luar, riscado de nuvens

Que morremos. 

É nos amigos que nos abandonam

Que morremos.

É na ausência do teu corpo e do teu sorriso

Que morremos. 

 

E todo o mundo fica diferente, 

Sendo igual. 



carlos arinto maremoto às 16:59
link do post | comentar | favorito

Quinta-feira, 11 de Fevereiro de 2021
Bipolaridade e sonhos devassos

Incendeiam-se as tardes, que ainda são de inverno

E um nevoeiro cresce na silhueta das luzes frouxas dos candeeiros 

Enquanto uma chuva, miudinha, espalha borra e cinza

Sobre as cabeças dos poucos que arriscam andar na rua. 

 

Um éspelho de águas geladas mostra o rosto granitico

Que esculpido nos caboucos das fragas já lá estava

Ainda a ribeira e os poços não eram nascidos.

 

Sim, tu és muito anterior ao dilúvio à glaciação à natividade.

E agora que é verão, e que as águas voltaram a descer

O cabelo amadurece e as trelicias dos teus olhos azuis

São muxarabiês como velas de barcos a nevegar no Tejo da latinidade.

 

Amo-te, porque te vi nascer e na beleza do cristal te beijo.

A noite cobre o sagrado manto da nossa liberdade 

E voando sobre os telhados de Lisboa adormecemos

 

Porque o nosso destino é estar no infinito. 



carlos arinto maremoto às 18:20
link do post | comentar | favorito

Segunda-feira, 8 de Fevereiro de 2021
Ser como um rio

Antes de serem rios

As águas já eram rostos...

O teu rosto!

 

Antes do teu rosto havia nuvens

E toda a terra estava em silêncio.

Depois as nuvens deixaram-se plainar

E formaram os rios, os lagos e os mares

 

Em cada espelho lá estava o teu rosto

Em todos os caudais a tua presença

E a natureza viu que era bom!

 

Um rio que sorri e se engrandece

Um rio que não pára quieto

Um rio que se transforma, transformando

Um rio que desagua em beleza e em sentimento

Um rio que é a tua cara

E se revela no infinito do antes

Para se tornar no infinito do depois.

 



carlos arinto maremoto às 17:21
link do post | comentar | favorito

MAREMOTO
pesquisar
 
Março 2021
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
23
24
25
26
27

28
29
30
31


textos recentes

Adorável Maio

A nossa terra

Mural II

Mural

o eterno esquecimento

A véspera

Um livro, uma história, u...

       NAS ASAS DO MEU AM...

Morremos

Bipolaridade e sonhos dev...

arquivos

Março 2021

Fevereiro 2021

Dezembro 2020

Novembro 2020

Outubro 2020

Setembro 2020

Agosto 2020

Julho 2020

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Junho 2016

Janeiro 2014

Março 2013

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

tags

todas as tags

favoritos

Despertar

Morrer algum dia

links
a partir de:
28.03.2010